Evento prepara comunidade para combater focos de incêndio na Serra do Japi

Divulgação

Com a chegada do inverno, quando em geral há menor incidência de chuvas na região, aumentam significativamente os riscos às florestas e vegetações. Entre maio a setembro de 2021 foram registrados aproximadamente 200 focos de incêndio no município de Jundiaí (SP). Isso corresponde a uma área de 1,4 milhão de metros quadrados. Só na região da Serra do Japi, foram contabilizadas 94 ocorrências durante todo o ano passado.

Considerando que o cenário exige ações de prevenção e combate às queimadas, para que novos incêndios de grandes proporções não se repitam, comprometendo a biodiversidade e a saúde da população local, o Projeto Olhos da Serra promoveu no último sábado (14) a palestra “Estratégias para combate a incêndios na Serra do Japi”, com o líder da brigada Núcleo de Proteção e Defesa Civil da Fazenda Chocolate Itu, Aldo Nunes.

A diretora de cultura da Associação dos Amigos dos Bairros de Santa Clara, Vargem Grande, Caguassu e Paiol Velho (SAB Santa Clara), Eliana Schiozer, ressalta que o Projeto Olhos da Serra tem como principal objetivo a conservação dos 2.071 hectares da Reserva Biológica da Serra do Japi, realizando ações de monitoramento e fiscalização, entre outras iniciativas. “Por isso esse evento foi tão importante. O combate efetivo aos incêndios é essencial para essa preservação, uma vez que os seus reflexos são muitas vezes incalculáveis. Animais feridos, filhotes órfãos, devastação de matas nativas, plantações e vegetação, causando enormes prejuízos ao meio ambiente. Isso sem falar nos riscos à saúde da população que vive no entorno da Serra”, afirma.

O evento recebeu aproximadamente 35 pessoas da comunidade local, engajadas na preservação deste importante patrimônio jundiaiense. “O ponto alto foi a construção de abafadores pelos participantes. Quando o fogo está no início, o uso deste equipamento é muito eficiente para evitar que a queimada se alastre. Justamente por isso, conversamos sobre a possibilidade de termos conjuntos prontos de equipamentos de segurança para que a comunidade esteja preparada para alguma eventualidade”, destaca Eliana, que reforçou ainda a participação do Inspetor Lacerda, da Polícia Florestal da Serra. “A sua presença foi um apoio importante para continuarmos com as nossas iniciativas”.

Além disso, durante o evento foram exibidos alguns vídeos demonstrando a ação da brigada em incêndios de proporções menores. “Falamos muito sobre os equipamentos de segurança, como o macacão, capacete, gorros, luvas, botas e abafadores, todos eles itens necessários para o combate a focos de incêndio. Mas falamos principalmente sobre a importância da prevenção e de saber quais canais acionar quando necessário”, conta o líder da brigada Núcleo de Proteção e Defesa Civil da Fazenda Chocolate Itu, Aldo Nunes.

Ele destaca que a população que acessa áreas de vegetação, incluindo a Serra do Japi, precisa entender que jogar uma simples bituca de cigarro nas proximidades pode causar estragos gigantes. “Muitos colocam fogo na mata ao queimar lixo ou restos de vegetação nas proximidades da Serra, sem se dar conta que principalmente na época de estiagem o fogo pode se espalhar rapidamente. Por isso a conscientização é tão importante quando se fala em prevenção.  

Aldo reforça ainda que a comunidade, desde que preparada, pode auxiliar no combate a pequenos focos de incêndio, que não apresentem riscos à sua segurança. “E é essencial que toda a população saiba a quem acionar em caso de necessidade”, destaca. Em Jundiaí, o acionamento para combate ao incêndio deve ser sempre direcionado pelo telefone 193 do Corpo de Bombeiros. A Prefeitura da cidade também disponibiliza canais para denúncia, como o telefone 156 e o Aplicativo Jundiaí.

Autor Livia Haddad

Mãe da Beatriz. Fundadora e editora do Portal Mães de Jundiaí. Jornalista, radialista. Fundadora e líder da comunidade Mães de Jundiaí no Facebook.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.