BFF – as melhores amigas de nossas filhas

Freepik

Júlia tem Bia como sua BFF (melhor amiga) e vivem grudadas. Um belo dia, ao ir para a escola, Júlia vê sua amiga com uma menina de outro grupo e as duas mal se conversam durante todo o dia, parecendo desconhecidas. Júlia fica arrasada e com uma sensação estranha de que o mundo está acabando!

Se você tem filhas entre 8 e 14 anos, provavelmente já identificou essa cena e sabe o quão desafiador é explicar sobre amizades, bullying e as famosas “panelinhas” para sua jovenzinha. Seguramente irá demorar alguns anos para fazê-la entender o que é uma amizade verdadeira e como tornar seu grupo de amigas um lugar seguro.

Como mãe e professora, percebo como o relacionamento das meninas é mais “delicado” que o de meninos. Será que garotas tão imaturas e ingênuas já sabem lidar com algumas gafes de amizade, tais como: boatos, fofocas, brigas, inveja, clonagem – uma querer ser igual à outra –, segredos, namorados e tantos outros temas que são complicados até para nós adultos?

Até assusta pensar que hoje em dia alguns segredos, provocações e difamações de uma pessoa são espalhados por segundos em um simples “print” de tela. Estaria mais perigoso viver nesta geração e ter um amigo confiável?

Uma coisa é certa: ter uma amizade é maravilhoso e precisamos de pessoas para caminhar conosco em nossa jornada de vida! Mas, como trazer para a vida de nossas filhas, amigas que têm tudo a ver com elas e ensiná-las a lidar com meninas maldosas? (que SIM, infelizmente existem!).

Se você tem filhas nesta idade, coloque na sua agenda, além de muita paciência, conversas abertas, dizendo que já passou por isso em sua juventude e que muitas vezes será inevitável desfazer uma amizade por apresentar ameaças, bullying e comportamento sufocante. Esteja disposta a ajudar, aconselhar e escutar sempre que necessário!

Por fim, busque ter um relacionamento aberto com os filhos, mostrando que em uma amizade os amigos se cuidam, compartilham momentos bons e ruins, se apoiam, se perdoam e desejam o melhor um para os outros.

Boa sorte a todos!

Com carinho

Letícia Ferrazzo Schmidt

@desemburre

Autor Redação Mães de Jundiaí

Redação Mães de Jundiaí

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.