Náuseas e enjoos da gestação: é possível evitar?

Freepik

A gestação é um período de intensas mudanças no corpo feminino e as náuseas e vômitos da gravidez fazem parte de uma condição comum, que pode trazer grande impacto na qualidade de vida das mulheres durante os três primeiros meses. Estima-se que 70% a 85% das grávidas sofrem com esses sintomas¹´². A causa é imprecisa e pode ser multifatorial. Em linhas gerais, está relacionada com os hormônios placentários, as dificuldades na adaptação evolutiva e até com a predisposição psicológica. E pode ficar um pouquinho mais complicado. Algumas mulheres, entre 0,3% a 2,0%, desenvolvem a forma grave do enjoo, chamada de hiperêmese gravídica.

“Na forma leve comum de náuseas e vômitos da gravidez, a gestante mantém os sinais vitais, com exame físico e exames laboratoriais normais, e a gravidez tem seu curso normal, já na condição de hiperêmese gravídica ocorre a perda de peso, acima de 5% do peso corporal pré-gestacional, desidratação e alterações de eletrólitos, pode levar a gestante à hospitalização. Os fatores de risco para a condição incluem história de enjoo, enxaqueca, história familiar dessa condição ou antecedente de hiperêmese gravídica em gestação anterior”, explica a especialista Profa. Dra. Roseli Mieko Yamamoto Nomura (CRM-SP: 59.590).

Para amenizar esses incômodos a obstetra selecionou dicas valiosas. Confira:

1.     Invista em polivitamínicos

A prevenção é um aspecto importante do tratamento de náuseas e vômitos na gestação. Mulheres que utilizam polivitamínicos durante a gestação parecem ser menos propensas a necessitar de atendimento a condição³. Nutrientes como a vitamina B6 são importantes nos primeiros três meses e período de maior incidência de náuseas e vômitos e podem ajudar a diminuir ambos sintomas.

2.     Gestante, fracione suas refeições daqui em diante

Durante a gravidez, recomenda-se que a dieta materna seja fracionada, em refeições pequenas e frequentes, a cada 1 a 2 horas, para evitar o pleno enchimento do estômago. E evite alimentos condimentados e gordurosos. Um estudo mostrou que as refeições proteicas são mais propensas a aliviar os sintomas de náuseas e vômitos do que as refeições gordurosas ou com carboidratos⁴.

3.     Medicamentos podem ser aliados seguros quando o enjoo não passa

Os anti-histamínicos de primeira geração são amplamente estudados para o tratamento de náuseas e enjoos e incluem: dimenidrinato, meclizina e difenidramina, pois têm menos efeitos colaterais maternos ou melhor perfil de segurança fetal. O American College of Obstetricians and Gynecologists, Royal College of Obstetricians and Gynaecologists e a Society of Obstetricians and Gynaecologists of Canada recomendam anti-histamínicos para o tratamento para náuseas e enjoos da gravidez. Mas é importante consultar seu médico ou um especialista em saúde antes de se medicar. 

Autor Redação Mães de Jundiaí

Redação Mães de Jundiaí

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.