Jundiaí inicia agendamento e cadastro para vacina COVID-19 em crianças sem comorbidades

Divulgação

Nesta sexta-feira (21), às 10h, o site da Prefeitura de Jundiaí abrirá o agendamento para vacinação contra COVID-19 de crianças sem comorbidades com 11 anos e nascidas entre os meses de janeiro a junho. O escalonamento da aplicação se dá pela quantidade de doses recebidas (2,3 mil doses na última quarta-feira, 19) não ser suficiente para atender ao público em sua totalidade. Gradativamente, com o recebimento de mais grades de vacinas, serão ampliadas as faixas etárias para o atendimento completo da população infantil. Outra ação que passa a ser realizada é a oferta de doses remanescentes do imunizante pediátrico. Para ter acesso a essas doses, basta à família que tem crianças entre 5 a 11 anos, preencher o cadastro no site da Prefeitura – que também será liberado às 10h – e ficar atenta à ligação das equipes da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS).

Jundiaí conta com cerca de 35 mil crianças entre 5 a 11 anos. Nesta semana, com a aplicação para o grupo com comorbidades ou deficiências permanentes, 300 crianças receberam a primeira dose de vacina contra a COVID-19. A partir deste sábado, as crianças sem comorbidades também passam a ter acesso à vacinação, seja na escala por idade ou pelo acesso às doses remanescentes.

Como será?
A aplicação para as crianças sem comorbidades terá início no sábado (22), em postos que podem ser escolhidos no momento do agendamento para as crianças com 11 anos e nascidas entre janeiro a junho. Já as crianças entre 5 a 11 anos que fizerem o cadastro para as doses remanescentes, serão chamadas a partir das sobras das doses diárias. “As doses de vacinas pediátricas possuem validade curta após a abertura do frasco, por isso, para acelerar a vacinação, abrimos o cadastro. É essencial que os mesmos procedimentos de registro no VacinaJá e inclusão do CPF da criança sejam realizados, além da inscrição seja para o chamamento antecipado ou para a vacinação por idade”, detalha a enfermeira da Vigilância Epidemiológica (VE), Maria do Carmo Possidente.

Autor Redação Mães de Jundiaí

Redação Mães de Jundiaí

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.