4 passos para ser uma mãe feliz e bem resolvida

Freepik

Ninguém duvida que a maternidade é uma jornada única, muito particular, e traz alegrias e realizações para a vida das mulheres que escolhem trilhar esse caminho. Mas muitas vezes ainda é “tabu” falar das dificuldades enfrentadas e dos momentos que não são tão maravilhosos como a maioria acredita. A rotina das mães não é fácil e pode ser bastante desafiadora, embora isso não signifique que elas não sejam felizes cuidando de seus filhos.

“Existe uma idealização e uma romantização muito grande em torno da figura da mãe, é uma questão cultural que existe há séculos e, até hoje, ainda é difícil desfazer essa expectativa. Ainda há grande resistência para abordar o chamado ‘lado B’ da maternidade, pois as mulheres ainda são muito julgadas e cobradas nesse sentido, avalia Gisele Miranda, autora do recém-lançado livro “A Coragem de se apaixonar por você”. Há 25 anos ela auxilia mulheres e mães a despertarem 100% de seu potencial na carreira e na vida pessoal, tornando-se protagonistas de suas histórias.

Gisele reforça que é irreal acreditar que uma mãe nunca estará cansada, nunca perderá a paciência nem terá nenhuma frustração durante todos os anos de vida que passará ao lado dos filhos. “É claro que haverá momentos que não serão tão bacanas ou divertidos como se gostaria, mas, devido à pressão social nesse sentido, muitas mães preferem não levantar essas questões”, diz a especialista.

Pensando em apoiar as mulheres nesse sentido, Gisele listou 4 passos para ser uma mão bem resolvida, fugindo da armadilha do autoboicote e das opiniões alheias:

• Xô, cobrança!

A primeira dica para as mães, de acordo com Gisele, é não se cobrar tanto. “Esse é o primeiro passo para trazer mais equilíbrio, e inclusive garantir saúde mental e física. As mulheres costumam ser exigentes demais com elas mesmas, e isso não facilita em nada as suas vidas. Já é desafiador o suficiente ser mãe e desempenhar as múltiplas funções desse papel, além de cumprir todas as outras tarefas relacionadas ao ambiente doméstico, casamento, carreira, vida familiar, vida social. Não imponha a si mesma uma ‘obrigação’ extra, que é a de ser perfeita e bem-sucedida em tudo o que fizer”, pondera Gisele.

A autora ressalta que haverá dias bons e dias ruins, e momentos em que as coisas darão certo e outros em que não correrão como o planejado, e você precisará se adaptar para fazer o que for possível. “E está tudo bem que seja assim, a perfeição só existe nas novelas e filmes, é preciso aceitar que você será a melhor mãe possível, e não a mãe perfeita- até porque essa mãe não existe!”, alerta Gisele.

• Liberte-se da necessidade de aprovação

Para Gisele, esse é outro “fantasma” que assombra a vida das mães, pois a cobrança em cima delas, pelo meio social, costuma ser constante e intensa. “Sempre haverá alguém discordando da forma como você cria seu filho, ou da decisão que tomou em determinada situação. Não queira agradar a todos ou agir da forma como os outros acreditam ser a correta. Avalie os diferentes lados da questão e faça aquilo que acredita ser o melhor para você e para seu filho”, ensina a autora.

Isso porque, buscar a aceitação dos que estão de fora não irá ajudar, e sim atrapalhar a vida da mãe. “Como diz o ditado, ‘cada cabeça uma sentença’, por isso, agradar a todos e seguir os conselhos que dão será uma verdadeira ‘missão impossível’. Por isso, corte o mal pela raiz e deixe de lado essa ideia”, afirma.

• Siga sua intuição

A intuição é uma “grande aliada” das mães, é muito importante escutar aquela ‘voz interna’ que nos diz para agir de determinada forma. “O vínculo entre a mãe e o filho é muito forte e se inicia ainda na gestação, antes mesmo do nascimento do bebê. Por isso, não é à toa quando dizem que uma mãe sabe o que é melhor para seu filho. Escute seu coração, fique atenta às suas intuições e confie nelas”, diz Gisele.

Não existe “receita de bolo” ou manual de instruções para ser uma boa mãe, por isso, a maternidade em geral sempre inclui uma boa dose de comportamentos intuitivos. “Use isso a seu favor e não contra você, e mantenha a calma quando precisar tomar uma decisão. Muitas vezes, uma atitude simples como respirar e se sentar em um lugar calmo por alguns minutos já ajuda a encontrar a melhor solução para um problema”, ensina a especialista.

• Relaxe e curta com os filhos!

O tempo passa depressa e as crianças crescem mais rápido do que se imagina, por isso, aproveite sua vida em família! Deixe de lado as cobranças sociais e curta o máximo que puder, desfrute dos momentos de lazer que tiver ao lado de seus filhos.

“Essa dica parece simples, mas também é fundamental e preciosa. Muitas mães acabam se veem sobrecarregadas e acabam sendo tão ‘engolidas’ pela rotina diária e pela vida corrida que se esquecem de relaxar e desfrutar dos bons momentos. Essas oportunidades são únicas e especiais, tenha sabedoria e não as desperdice”.

Autor Redação Mães de Jundiaí

Redação Mães de Jundiaí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *