Agosto Dourado: Banco de leite Humano de Jundiaí reforça a importância do aleitamento materno

Divulgação

O mês de agosto é comemorado a Semana Mundial de Aleitamento Materno. Os índices de aleitamento materno estão aumentando no Brasil, de acordo com resultados preliminares do Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (Enani) do Ministério da Saúde. Foram avaliadas 14.505 crianças menores de cinco anos entre fevereiro de 2019 e março de 2020. Mais da metade (53%) das crianças brasileiras continua sendo amamentada no primeiro ano de vida. Entre os menores de seis meses o índice de amamentação exclusiva é de 45,7%.

O leite materno é o melhor alimento para garantir os nutrientes necessários aos recém-nascidos até os seis meses de idade. Rico em proteínas, vitaminas, anticorpos, gorduras e água, ele é essencial para o bom desenvolvimento da criança.

Além disso, a prática de amamentar gera impactos positivos nos futuros relacionamentos interpessoais do bebê, melhora suas condições psicomotoras e proporciona diversos benefícios para a mãe. Como resultado, a sociedade passa a ter indivíduos mais fortes e saudáveis.

O Banco de Leite Humano de Jundiaí realiza um trabalho incansável para conscientizar as mães deste ato tão importante para o desenvolvimento do bebê. “Fazemos campanhas, participamos do Comitê da Primeiríssima Infância, realizamos ações externas com grupos de gestantes em empresas, escolas, faculdades e UBSs. Estamos sempre trabalhando para divulgar o quanto é importante e o quanto é preciso insistir na amamentação”, explicou Marcela Bionti, coordenadora do BLH.

O Banco de leite Humano de Jundiaí oferece um atendimento para as puérperas que tem dificuldades na hora da amamentação. “Possuímos um atendimento individualizado. Primeiro conversamos com a mãe, avaliamos e após isso é passado as orientações pertinentes ao caso dela. Dependendo da situação, o acompanhamento é feito durante vários dias”, conclui Marcela.

Além deste trabalho, o BLH realiza orientações junto às mães nos leitos do Hospital Universitário de Jundiaí fazendo uma sensibilização para doação e amamentação. “Dependendo do caso, essa mãe tem retorno marcado no próprio Banco de leite para darmos sequência nas orientações”, falou a especialista.

Nem todas as mulheres conseguem amamentar seus filhos devido a causas variadas. Por isso, é importante que as mães mantenham um comportamento solidário e realizem a doação do leite materno para suprir a necessidade dos recém-nascidos que o Banco de Leite Humano atende.

Para doar, basta ser saudável e não estar fazendo uso de nenhum medicamento que interfira na qualidade do leite materno. A equipe do Banco de Leite retira o leite na casa da doadora, desde que resida em Jundiaí, Itupeva, Cabreúva, Itatiba, Louveira, Várzea Paulista e Campo Limpo Paulista.

As interessadas podem entrar em contato com o Banco de Leite, a equipe fará uma breve entrevista e, estando apta para ser doadora, as enfermeiras vão até a residência e ensinam como fazer a ordenha e armazenamento. O telefone do Banco de Leite é 08000-178155. 

O aleitamento materno é uma prática fundamental para o desenvolvimento da criança. Ele envolve muito mais do que apenas o ato de nutrir, envolve uma grande interação entre mãe e filho com repercussões importantes sobre o desenvolvimento cognitivo, estado nutricional e emocional da criança.

Autor Redação Mães de Jundiaí

Redação Mães de Jundiaí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *