Síndrome do Pensamento Acelerado: estímulos em excesso esgotam mente e corpo

Divulgação

Identificada pelo psiquiatra e escritor Augusto Cury, a Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA) gera dificuldade em organizar os pensamentos, podendo saturar o córtex cerebral e resultar em uma mente hiper pensante (em busca permanente de informações e estímulos), agitada, impaciente, com bloqueio criativo e baixo nível de tolerância.

“Diariamente, ficamos expostos a uma quantidade enorme de estímulos, nos motivando a fazer várias tarefas simultaneamente. O problema é que o cérebro não está acostumado a receber tantos estímulos e a processar inúmeras informações de uma vez só. O resultado é o esgotamento mental, e para absorver todos os novos impulsos, o cérebro acaba tomando para si a energia que deveria ser utilizada para o funcionamento de outros órgãos e músculos, o que justifica o desgaste físico”, explica a Dra. Danielle H. Admoni, psiquiatra na Escola Paulista de Medicina UNIFESP e especialista pela ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria).

Segundo o Instituto Augusto Cury, a SPA atinge cerca de 80% da população brasileira. Mesmo sendo comum, a síndrome é pouco discutida. Muitas pessoas sofrem com os sintomas sem saberem que estão lidando com este problema de ordem psicológica, pois, ainda que não seja considerada uma doença, a SPA está relacionada a quadros de transtorno de ansiedade.

“As redes sociais, por exemplo, são responsáveis por diversos quadros de ansiedade, já que muitas pessoas passam o tempo todo checando notificações e mensagens. Além disso, dentro de um curto período na internet, o indivíduo absorve uma quantidade absurda de textos e imagens, fator que gera cansaço e esgotamento mental”, reforça Flávia Teixeira, psicóloga, mestre em Saúde Coletiva pela UFRJ, professora de pós-graduação em Psicologia Hospitalar na UFRJ e pós-graduada em Psicossomática Contemporânea.

Sintomas

A SPA está associada ao fluxo intenso de pensamentos, ou seja, não há relação com o conteúdo deles, mas com a quantidade e a velocidade em que são produzidos pelo cérebro. Confira os principais sintomas de quem é acometido pela síndrome:

– Ansiedade

– Dificuldade de atenção e concentração

– Pensamentos distorcidos

– Prejuízos à memória, como lapsos

– Cansaço excessivo

– Dificuldade para pegar no sono

– Irritabilidade fácil

– Não conseguir descansar o suficiente e acordar cansado

– Inquietação

– Excesso de estímulos visuais e sonoros

– Sofrimento por antecipação

– Intolerância ao ser contrariado

– Mudança de humor repentina

– Insatisfação constante

– Sintomas psicossomáticos, como dor de cabeça, dor nos músculos, queda de cabelo e gastrite

Quem pode ter

Normalmente, a síndrome surge em pessoas que precisam se manter constantemente atentas, produtivas e sob pressão. A SPA é muito comum em executivos, profissionais de saúde, escritores, professores e jornalistas, por exemplo.

“São pessoas que não conseguem parar um segundo sequer para evitar o comprometimento do trabalho, já que tudo acontece em um ritmo extremamente acelerado, com muitos projetos e pouco prazo de entrega. Nestes casos, a SPA acaba dificultando o desenvolvimento de capacidades, de criatividade, reflexão e memória, podendo prejudicar o rendimento do trabalho”, pondera a Dra. Cristiane Romano, mestre e doutora em Ciências e Expressividade pela USP, e pós-graduada em Gestão e Estratégia de Marketing pela PUC-MG.

Cristiane aconselha evitar longas jornadas de trabalho. Para conseguir realizar as tarefas somente no horário do expediente, é preciso disciplina e organização. Outra dica é, ao invés de tirar um mês de férias, tirar 4 ou 5 dias de férias a cada 4 meses. “Dessa forma, você espaça seu tempo para descansar e desligar a mente”, diz Romano.

Atenção com as crianças

No entanto, a SPA não se limita ao âmbito profissional. Segundo Danielle Admoni, que também é psiquiatra da infância e adolescência na UNIFESP, qualquer pessoa pode desenvolver a síndrome.

“Crianças e adolescentes são bombardeados por informações a todo momento e submetidos ao excesso de tarefas, estímulos sociais e preocupações. Isso acaba por estressar e desgastar o cérebro, especialmente em se tratando de indivíduos em pleno desenvolvimento neuro psicomotor, cuja estrutura cerebral é afetada, provocando disfunção no sistema neurológico e endocrinológico, podendo gerar danos irreversíveis”, alerta a psiquiatra.

“Caso seu filho apresente quadro de ansiedade, dificuldade de concentração, falta de memória, irritabilidade, cansaço físico e mental, busque ajuda imediatamente, antes que o seu desenvolvimento intelectual possa ser comprometido”.

Tratamento

O diagnóstico da SPA deve ser feito por um psicólogo ou psiquiatra. Pode ser com base nos sintomas e nos relatos sobre os hábitos cotidianos do paciente, como também por meio de um questionário específico que auxilia a identificar pontos que podem ter ficado de fora.

O psicólogo ajuda no entendimento dos pensamentos, dos sentimentos e dos comportamentos. Já o psiquiatra poderá entrar com medicações, caso seja necessário. “O importante é haver um acompanhamento multidisciplinar para descartar outras hipóteses e garantir o diagnóstico correto”, ressalta a psicóloga Flávia Teixeira.

Segundo ela, adotar mudanças de hábitos e rotina pode ajudar no tratamento da síndrome: praticar atividades físicas regularmente, dar pausas para descanso entre as tarefas do dia, limitar-se ao uso de redes sociais e de telas em geral, e passar a praticar um hobby ou alguma atividade que dê prazer, como pintar, ler, cozinhar, entre diversas outras opções que proporcionam o bem-estar que sua mente e seu corpo tanto precisam.

Autor Redação Mães de Jundiaí

Redação Mães de Jundiaí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *