Hoje é Dia Mundial de Doação de Leite Humano

O Dia Mundial de Doação de Leite Humano é uma iniciativa para a proteção e promoção do aleitamento materno, voltada para a sensibilização da sociedade para a importância da doação de leite humano. Os objetivos da celebração, realizada em todo o país, são: estimular a doação de leite materno; promover debates sobre a importância do aleitamento materno e da doação de leite humano; divulgar os bancos de leite humano nos estados e municípios brasileiros.

Jundiaí tem seu Banco de Leite Humano desde 1998. Desde então, tem atuado como um polo defensor do aleitamento materno e ajudando a milhares de crianças e mães no decorrer de duas décadas de existência.

A captação de doadoras tem ocorrido por meio de campanhas na mídia, parcerias com os hospitais da região para divulgação do serviço, visitas de apoio na maternidade do Hospital Universitário do município, eventos em parceria com a Secretaria de Saúde, serviços de disk-amamentação, além do atendimento realizado no próprio banco de leite (muitos deles culminam em doação de leite) e o popular “boca-a-boca”, que tem levado muitas mulheres a procurar o serviço.

O BLH completa 23 anos em junho e nesses anos já cadastrou mais de 8.600 doadoras. No mês de abril foram realizados 688 atendimentos, pasteurizados 89.115 ml de leite humano, distribuídos para as UTIS 98.330 ml e atendidos 43 bebês.

De acordo com a coordenadora do Banco de Leite de Jundiaí, Marcelas Bionti, ainda hoje existem muitas dúvidas e mitos na amamentando. Por exemplo, de que o leite estraga quando a mulher engravida é está amamentando. “Isso não acontece, pode alterar um pouco o sabor do leite, mas devido a questão hormonal. A única atenção são para mulheres com histórico de trabalho de parto prematuro”.

Outra questão, como diz Marcela, é sobre os benefícios do leite após seis meses de idade do bebê. “O bebê passa a ter necessidades maiores de nutrientes, porém o leite materno ainda é importante fonte nutricional e sua composição ainda continua importante, principalmente a questão imunológica, o leite vai se moldando de acordo com a faixa etária da criança e com o ambiente que a criança está”, acrescenta ela.

Diante de tantas dúvidas que pairam nas mães, uma doadora que vem para mostrar que existem muitos mitos em torno da amamentação é Marina Silva Sato Oliveira, 26 anos, que mora no Bairro Jardim das Minas em Itupeva é mãe de um bebê de um ano, amamenta e faz doação para o Banco de leite. “Faço doação de leite desde novembro de 2020. Vi pelas mídias sociais que precisavam de leite. Entrei em contato e a enfermeira veio em casa e me explicou certinho como fazer. Resolvi doar para ajudar os outros bebês que necessitam”.

Questionada se algo mudou despois que o filho completou um ano, ela foi enfática. “Não mudou nada! Tem semana que tiro bastante e outra menos, mas isso não importa, pois o banco passa para retirar. Quando voltei ao trabalho tive um suporte da enfermeira que me ajudou, como ajuda outras mães no início da amamentação e no processo todo de doação”, completa Mariana

O Banco de Leite está trabalhando com o estoque com 60% de sua capacidade e precisa de doadoras. “No início da pandemia, com o isolamento total, nosso estoque ficou além de costume. Fechamos praticamente mais de 100 litros pasteurizados no ano passado de março a outubro. Quando começou a ficar mais tranquilo, o volume de leite coletado começou a cair bastante. Hoje, trabalhamos com o estoque cerca de 40% mais baixo. Além disso, muitas doadoras tiveram que suspender a doação devido a sintoma gripal ou COVID positivo”, disse a coordenadora Marcela.

Toda mulher que está amamentando e tem leite em excesso é uma possível doadora. Para doar, basta ser saudável e não estar fazendo uso de nenhum medicamento que interfira na qualidade do leite materno. A equipe do Banco de Leite retira o leite na casa da doadora, desde que resida em Jundiaí, Itupeva, Cabreúva, Itatiba, Louveira, Várzea Paulista e Campo Limpo Paulista.

As interessadas podem entrar em contato com o Banco de Leite, a equipe fará uma breve entrevista e, estando apta para ser doadora, as enfermeiras vão até a residência e ensinam como fazer a ordenha e armazenamento. O telefone do Banco de Leite é 08000-178155. 

Autor Redação Mães de Jundiaí

Redação Mães de Jundiaí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *