Doação de leite materno é um ato de amor ao próximo

Em 2018, quando a educadora física, Anna Laura Silva de Freitas, deu luz à Maria Flor, teve hiperlactação e não pensou duas vezes em doar o leite materno para o Banco de Leite.

“Minha filha não conseguiu consumir todo leite que meu corpo produzia, então optei pela doação”, comenta. Embora a doação fizesse parte dos planos de Anna, a hiperlactação ajudou para que de fato ela acontecesse. “Lembro que cheguei a ordenhar uma quantidade que encheu um copo americano”.

Para Anna Laura foi muito bom saber que o leite que alimentava sua filha também ia ajudar bebês que estavam em situação de internação. “Queria ter doado mais, mas voltei a trabalhar e não consegui”.

Anna Laura e a pequena Maria Flor em encontro promovido pelo Banco de Leite – Imagem: Arquivo Pessoal

Porém, nem toda mãe tem a possibilidade de poder amamentar o filho como gostaria. Dez anos antes de Anna Laura fazer esse ato de amor ao próximo, a consultora de uma marca de cosméticos, Janaina Silva de Souza paria suas filhas gêmeas, de 37 semanas de gestação.

“Uma delas nasceu com 1,8 quilos e precisou ficar no hospital para ganhar peso” conta a mãe. Foram longos 12 dias em que ela ia diariamente até o hospital para amamentar a filha, mas como só podia ficar por duas horas e o leite que ordenhava não era suficiente até o seu retorno, a bebê precisou se alimentar com doações de Banco de Leite.

“A doação foi fundamental, porque eu via uma das minhas filhas em casa recebendo meu leite e pensava que a que estava no hospital também recebia o alimento que seria fundamental para sua alta”, conta.

Janaína com suas filhas – Imagem: Arquivo Pessoal

Todo o processo, tanto da doação quanto do recebimento, é administrado pelos bancos de leite. Em Jundiaí, a luta é manter os estoques cheios para atender a demanda dos hospitais.

Campanha #MãesQueDoamLeiteMaterno
E por isso, o Mães de Jundiaí está lançando uma campanha para incentivar ainda mais o ato de doar.

A partir de hoje você verá uma série de depoimentos nas nossas redes sociais de mães que doaram, mães que os filhos receberam e aquelas que tiveram a orientação do Banco de Leite para acertar pega e conseguir amamentar.

O Banco de Leite de Jundiaí está com o estoque baixo e você que está amamentando ou conhece uma mãe que esteja, pode fazer a diferença na vida de uma família com um simples ato! De amor ao próximo.

Como doar?
Toda mulher que está amamentando e tem leite em excesso é uma possível doadora. Para doar, basta ser saudável e não estar fazendo uso de nenhum medicamento que interfira na qualidade do leite materno. A equipe do Banco de Leite retira o leite na casa da doadora, desde que resida em Jundiaí, Itupeva, Cabreúva, Itatiba, Louveira, Várzea Paulista e Campo Limpo Paulista.

Mudança de telefone
As interessadas podem entrar em contato com o Banco de Leite, a equipe fará uma breve entrevista e, estando apta para ser doadora, as enfermeiras vão até a residência e ensinam como fazer a ordenha e armazenamento. O telefone do Banco de Leite é 08000-178155. 

Autor Kadija Rodrigues

Editora do Portal Mães de Jundiaí, mãe do Raul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *