Cuidados com as doenças respiratórias aumentam nessa época do ano

Imagem: Freepik

Todo ano, nesta época da primavera, ficamos mais alertas com as crianças, sobretudo as que têm alguma alergia respiratória. A estação das flores, das cores e dos aromas também é a estação do aumento de sintomas de doenças como rinite alérgica, asma, conjuntivite alérgica e outras doenças respiratórias. Além do pólen, outros fatores podem desencadear crises respiratórias, como alterações climáticas devido à transição do inverno para a primavera.

Cerca de 20% da população sofre de alguma forma de alergia. A resposta alérgica é uma reação de hipersensibilidade do organismo quando as pessoas que são sensíveis a determinadas situações entram em contato com agentes desencadeantes chamados alérgenos, que provocam uma crise de doença alérgica.

Os sinais das doenças respiratórias são evidentes desde os primeiros anos de vida. A faixa mais atingida pelos sintomas são as crianças de seis meses a cinco anos. Porém, na maioria dos casos, duram até a vida adulta.

“Por conta da pandemia, as crianças ficaram mais isoladas, o que contribuiu significativamente para a diminuição dos quadros respiratórios e alérgicos de toda a ordem. Medidas tomadas para a prevenção do Covid 19 (que já deveriam fazer parte do dia a dia de todos), como lavar as mãos, evitar aglomerações, etc, contribuíram muito para essa queda. Doenças sazonais e as alergias caminham lado a lado. Maioria das vezes são quadros benignos, sem necessidade de se procurar um serviço de emergência, mas, ao menor sinal de complicação ou dúvida, procurar um pediatra de confiança ou algum Pronto Socorro Infantil”, explicou o pediatra do Hospital Universitário, Cristiano Guedes.

O que fazer para minimizar o desconforto?

·         Beba bastante água. Com o tempo seco perdemos mais líquido pela respiração e também pelo suor, por isso é importante se manter hidratado;

·         Quando for limpar o chão, evite varrer para não espalhar poeira, passando apenas um pano úmido;

·         Hidrate as narinas com soro fisiológico ou água;

·         Umidifique os ambientes. Você pode usar aparelhos próprios para isso (umidificadores ou vaporizadores) ou até mesmo bacias com água nos cômodos;

·         Dê preferência para roupas de cama antialérgicas;

·         Evite ter plantas e bichos de pelúcia no quarto. Isso pode ampliar os sintomas de doenças respiratórias;

·         Verifique com seu médico a possibilidade de utilizar sprays nasais antialérgicos;

Tenha cuidado com a exposição excessiva ao sol.

RINITE ALÉRGICA

O que é: conhecida como alergia que acomete o nariz, a rinite é uma inflamação das mucosas da cavidade nasal e tem como causa a reação excessiva do sistema imunológico às partículas alérgenas do ar. Se o doente tiver predisposição à asma, possivelmente poderá desencadear uma crise com falta de ar e cansaço.

Causas: provocada por diversos fatores alérgenos. Alguns exemplos frequentes são poeira doméstica, bichinhos de pelúcia, odor de livros (especialmente os mais antigos, com cheiro de “guardado”), pólen, alguns alimentos, pelos de animais (como gatos e cachorros), além dos ácaros presentes no colchão e em estofados.

Sinais e sintomas: nariz entupido, secreção clara, irritação e coceira nasal.

Prevenção e tratamentos: o cuidado é manter os ambientes sempre limpos, arejados e sem qualquer objeto que possa desencadear novas crises. O tratamento se dá pelo uso de medicamentos indicados pelo pediatra, limpeza do ambiente e retirada de objetos como carpetes, almofadas e pelúcias do ambiente, além de ser importante evitar a exposição ao cheiro de perfumes fortes, tintas e fumaça de cigarro. Vale ressaltar a necessidade do acompanhamento médico para minimizar a recorrência das crises.

ASMA

O que é: caracteriza-se pela inflamação crônica das vias aéreas. Uma pessoa com asma tem os pulmões diferentes dos de pessoas saudáveis, especialmente por ter os brônquios mais sensíveis e com chances de inflamar.

Causas: a doença pode se manifestar a qualquer sinal de irritação provocada, por exemplo, por pó, cheiro de perfumes, odor de cigarro, entre outros. Geralmente está associada a uma propensão genética, ou seja, pais que apresentam quadros de asma possivelmente podem ter filhos com o mesmo problema ou outros quadros alérgicos.

Sinais e sintomas: tosse, chiado, cansaço e falta de ar.

Prevenção e tratamentos: é importante o diagnóstico do pediatra para avaliar o grau do quadro de asma. Feito isso, o médico indicará o tratamento com broncodilatadores, anti-inflamatórios ou corticoides, além de outras ações que possam minimizar a possibilidade de novas crises respiratórias.

CONJUNTIVITE

O que é: a inflamação da conjuntiva que provoca irritabilidade nos olhos – coceira, vermelhidão, intolerância à luz, olhos lacrimejantes, visão embaçada ou borrada e, em alguns casos, dor.

Causas: é provocada a partir de agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus. Contagiosa, é transmitida de pessoa para pessoa, por meio do compartilhamento de objetos e utensílios pessoais.

Sinais e sintomas: olhos vermelhos, coceira, irritação e lacrimejamento.

Prevenção e tratamentos: quando se sabe de surtos ou de pessoas doentes, é importante evitar o contato direto, assim como locais fechados com grande número de pessoas, como shoppings, escolas, transporte público e grupos de amigos. Já o tratamento depende do tipo da doença: a conjuntivite alérgica pode ser tratada com anti-histamínicos; já no caso da bacteriana podem ser recomendados colírios antibióticos.

Autor Redação Mães de Jundiaí

Redação Mães de Jundiaí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *