Jundiaí tem nova finalista do Prêmio Educador Nota 10

(Foto: Prefeitura de Jundiaí e Reprodução)

Com um projeto de rádio escolar, a professora Andrea Simon, da rede municipal de ensino, é uma das 50 finalistas do Prêmio Educador Nota 10 edição 2020, que premia os melhores educadores de todo o País. No ano passado, a profa. Arabelle Calciolari, com o projeto “Os Beatles – Seu Tempo e Sua História”, realizado na EMEB Maria Angélica Lourençon, no Corrupira, já havia ficado também entre as dez finalistas.

O prêmio reúne, por meio de relatos e projetos, boas práticas para a melhoria da qualidade da Educação Básica Brasileira. Este ano, foram mais de quatro mil inscritos de todo o País.

O Prêmio Educador Nota 10 foi criado em 1998 pela Fundação Victor Civita que, desde 2014, realiza a premiação em parceria com Abril, Globo e Fundação Roberto Marinho. O objetivo é reconhecer e valorizar professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país. O Prêmio tem o patrocínio da Fundação Lemann, SOMOS Educação e BDO, e o apoio da Nova Escola, Instituto Rodrigo Mendes e Unicef. Desde 2018, o Prêmio Educador Nota 10 é associado ao Global Teacher Prize, prêmio global de Educação. Os 50 educadores finalistas podem ser conferidos aqui: https://premioeducadornota10.org/parabens-aos-finalistas-do-premio-educador-nota-10-2020/

Andreia Simon é professora do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental na EMEB Prof, Luiz Biela de Souza, no Santa Gertrudes, e seu projeto selecionado foi a Rádio Escolar. Na escola, que é de tempo integral, as oficinas de comunicação ficaram a cargo de Andreia, que orientou a produção de materiais para a rádio; a proposta envolveu linguagem oral e escrita, abarcando pesquisas e leituras de reportagens em mídias digitais, sínteses das notícias, planejamento e captação de entrevistas breves, elaboração do roteiro da programação, pesquisa de uma curiosidade e produção de texto curto a respeito, seleção musical e, finalmente, a apresentação do programa de rádio.

Segundo a Unidade de Gestão de Educação (UGE), as trocas entre as crianças foram muito potentes, pois as que eram leitoras e escritoras mais experientes atuaram como tutoras, sob orientação da professora, das menos experientes: deram apoio, liam trechos mais complexos em voz alta e davam dicas para a escrever. Os avanços foram notados pelas professoras das aulas regulares, em especial no aumento da confiança e da competência dos alunos na comunicação oral, na leitura e na escrita.

“Todos que chegaram até aqui são vencedores, pela iniciativa de propor projetos importantes para as cidades, que colaboram para a melhor educação das crianças, jovens ou adultos”, diz a gestora de Educação, Vasti Marques. “Esta é o segundo ano consecutivo que temos professores da rede municipal como finalistas desse prêmio. Estamos felizes por, mais uma vez, termos participado e colocado a Educação de Jundiaí no cenário nacional”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *