O estresse da pandemia

A pandemia do Covid-19 virou o mundo de ponta cabeça. Distanciamento social, escolas fechadas, homeoffice, homeschooling, chuva de lives, dias bons e dias ruins. É impossível passar por este desafio sem nos sentirmos em uma monta russa emocional. É estressante sim, e como!

Por isso é importante entendermos como o estresse nos afeta – adultos e crianças – e o que podemos fazer para lidar com ele.

É difícil lidar com a possibilidade de perder o emprego ou a redução de renda dos empreendedores e profissionais liberais. Assim como seria um desafio e tanto começarmos a ensinar nossos filhos em casa, de uma hora para outra. Tudo isso no contexto onde há um vírus ainda muito pouco conhecido, que se espalha rapidamente e de impacto mundial, podemos assumir que o estresse é muito maior.

Cientificamente o estresse é classificado em 3 níveis: o estresse do bem (situações desafiadoras e pequenas frustrações do dia a dia); o stress moderado (situações pontuais de grande significado como a perda de um familiar querido ou a separação dos pais) e o estresse tóxico (situações contínuas de tensão e insegurança, como violência física, verbal, descriminação e sim, o enfrentamento de uma pandemia).

Para lidar com o estresse tóxico da pandemia, é importante mantermos o distanciamento físico e proteger os mais vulneráveis. Mas também é necessário nos mantermos conectados com aqueles que amamos. Vale para crianças e para adultos.

Esta conexão nos permite equalizar o nível de estresse em nosso organismo; nos ajuda a estar por inteiro e passar por este desafio com um pouco mais de calma. Quando pensamos na relação com nossos filhos, nos proteger do estresse tóxico ajuda a estarmos mais próximos dos pais que queremos ser. A lidar com as necessidades de nossos filhos com mais paciência. Afinal, o desenvolvimento da criança não para no meio de uma pandemia. E todo dia temos a oportunidade de ensinar e aprender alguma coisa nova ao lado de nossos filhos!

Dicas práticas para nos proteger do estresse tóxico na pandemia:

  1. Use e abuse das chamas em vídeo para amigos e familiares. Ou simplesmente vá até a janela, cumprimente seu vizinho (mantendo o distanciamento de 1,5m ok?), dê um sorriso! Deixe a energia positiva invadir a alma!
  2. Tire um minuto para fechar os olhos e respirar profundamente. Respirar lentamente diz ao nosso corpo para desacelerar e pegar leve com a gente. E isso nos ajuda a responder melhor às situações mais desafiadoras.
  3. Interaja com as crianças. De maneira genuína, cheio de presença. Vale desafio de caretas, uma corrida no quintal, cócegas ou qualquer outra oportunidade de conexão física. Este contato faz bem pra você e pra seu filho.

Existem muitas outras formas de autocuidado que ajudam a nos proteger do estresse tóxico (você pode ver mais algumas dicas de outras mamães clicando aqui). O importante é procurar uma válvula de escape, todos os dias. Afinal, quando nós, adultos, nos sentimos bem, nós somos capazes de nos conectar melhor com nossas crianças e ajudá-las a administrar esta nova situação que estamos vivendo.

Um beijo!

#fiqueemcasa

Autor Clarissa Belotto

mãe da Manu e da Nina, publicitária, idealizadora do projeto Maternar360 - Conteúdo | Vivências | Clube de Descontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *