Fala enquanto dorme? Saiba como diminuir os efeitos do sonilóquio

Falar durante o sono pode não ser um grande problema para quem está dormindo. Porém, a história muda para quem divide o mesmo quarto durante a noite, não é mesmo?

A consultora do sono da Duoflex, Renata Federighi, explica que o sonilóquio é um distúrbio do sono em que se fala enquanto dorme e que acontece geralmente na infância e, em alguns casos, também durante a fase adulta. “Apesar do incômodo, esse é um problema que, na maioria dos casos, não necessita de tratamento ou grandes preocupações. Os episódios chegam a durar por volta de trinta segundos. Na ocasião a pessoa pode falar frases completas, apenas palavras soltas ou balbuciar algo sem sentido”, destaca.

Conversar durante o sono pode ocorrer com qualquer pessoa e a qualquer hora. Entretanto, existem alguns gatilhos que podem desencadear e agravar o sonilóquio. Dentre eles estão o estresse, a ansiedade, a privação do sono, a depressão, o consumo de álcool, o uso de algum medicamento e até mesmo a febre.

Para amenizar os efeitos deste transtorno do sono, a especialista traz algumas dicas básicas para tornar as noites mais agradáveis. “Por não ser uma doença, não existe um tratamento, mas alguns cuidados na rotina vão ajudar a amenizar esse problema”, completa.

Cuide da saúde mental

Buscar formas de diminuir o estresse e a ansiedade vão ajudar a melhorar a qualidade do sono e evitar o falatório durante a noite. Pode ser um momento de meditação ou de alguma atividade relaxante, como ler um livro. “Uma dica que pode diminuir a inquietação e melhorar a qualidade do repouso é anotar as preocupações do dia em um caderno ou agenda antes de deitar. Isso vai ajudar a desocupar a mente dessas questões urgentes e relaxar”, explica a consultora.

Cuide da alimentação

Evitar os excessos é uma dica valiosa e isso se aplica na hora das refeições. Antes de deitar a melhor opção é fugir de um jantar pesado e gorduroso e das bebidas alcoólicas. “Ao contrário do que muitos pensam, a bebida alcoólica não relaxa. Após alguns goles, ela pode afrouxar as estruturas da região da faringe, comprometendo a respiração. Como resultado a pessoa pode roncar e falar durante a noite”.

Cuide do ambiente de repouso

Da luminosidade à temperatura do quarto, alguns cuidados favorecem o sono, melhoram a qualidade do repouso e ajudam a evitar o sonilóquio. “A mente precisa entender que a cama foi feita para dormir, por esse motivo não use tablets, celulares e eletrônicos ao deitar. A luz dos aparelhos eletrônicos interfere na produção da melatonina, que é responsável por alertar nosso corpo que está na hora de dormir. Manter os quartos limpos e arejados vai proporcionar uma temperatura mais agradável para o repouso e tornar a noite de sono melhor”, comenta Renata.

“Além disso, tente dormir ao menos oito horas por noite, utilizando travesseiros e colchões adequados para manter a disciplina postural. Esses são pequenos hábitos que vão ajudar a eliminar agravantes do sonilóquio”, completa a consultora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *