Prefeitura de Jundiaí discute “Suicídio: As Dores da Alma” dia 13, no Polytheama

A Prefeitura Municipal de Jundiaí, em parceria com a Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) e CVV – Centro de Valorização da Vida, promove na sexta-feira (13), a quarta edição do Palco da Cidade – encontro que abre reflexão sobre valorização da vida e o diálogo sobre “Suicídio: As Dores da Alma”. Com produção da TVTEC, Unidade de Gestão de Inovação e Relação com o Cidadão (UGIRC) e Teatro Polytheama, o encontro será gratuito e aberto ao público, a partir das 19h.

A data marca o Setembro Amarelo, mês da conscientização do suicídio, quarta principal causa de morte entre adolescentes e jovens no Brasil, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). De 2011 a 2016, foram quase 4900 mortes de jovens de 10 a 19 anos, e os números seguem crescendo. Dialogar e quebrar os tabus criados na sociedade sobre fragilidade dos vínculos na infância, automutilação na adolescência e solidão adulta, são os principais objetivos do evento.

A causa foi abraçada pelo prefeito Luiz Fernando Machado em 2016. Neste dia, diversos especialistas conversam questões de saúde mental, depressão, sentimento de culpa, responsabilidade social, apoio emocional – principalmente para o público jovem, e muito mais.

Confira os convidados para o encontro:

• Karina Okajuma Fukumitsu: Psicóloga, Mestre em Psicologia Clínica, autora de diversos livros sobre suicídio, prevenção e pósvenção do suicídio, luto por suicídio, conhecida também como a educadora dos pés descalços;
• Carla Basson: Tenente Coronel 11º BPMI de Jundiaí;
• Elaine Machado: Coordenadora de Estudos de Desenvolvimento de Voluntários (CVV);
• Karen Scavacini: Psicóloga, Mestre em Saúde Pública, Doutora em Psicologia, autora de livros e capítulos nacionais e internacionais sobre prevenção e posvenção do suicídio.
• Kelsang Chime: Monja budista e professora residente do Centro Budista Kadampa Vajrayoginy.

Suicídio: A Epidemia Calada – evento 2018
Em agosto do ano passado mais de 1200 marcaram presença no Teatro Polytheama com um minuto de silêncio em homenagem a todos os atingidos por essa violenta infecção, que primeiro tira do equilíbrio psicológico e depois ceifa da história pessoas de todas as idades e desestrutura famílias em todas as partes do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *