Meu filho respira pela boca. Devo me preocupar?

Sim. Se seu filho respira pela boca, providências precisam ser tomadas.
Nascemos programados para respirar pelo nariz. Ele tem a função de aquecer, filtrar e umidificar o ar que a gente inspira, além de participar diretamente da olfação. Quando temos alguma obstrução total ou parcial no caminho natural do ar e respiramos pela boca cronicamente, nosso corpo precisa se adaptar a essa nova forma de receber o ar. E essa adaptação inclui novo posicionamento de língua, lábio inferior frouxo, cabeça projetada para frente entre outras características. Com o tempo, essas adaptações podem ocasionar alterações da face (que fica mais alongada e estreita), e da oclusão dos dentes de cima com os de baixo, além de modificar as funções de mastigação e de fala.
Pacientes com a “Síndrome do Respirador Bucal” podem apresentar todas essas características acima, em menor ou maior grau, e também alguns dos sinais e sintomas abaixo:

• Respira de boca aberta;
• Ronco
• Obstrução nasal;
• Dor de garganta e/ou ardência ou coceira na faringe;
• Muco espesso aderido à garganta;
• Tosse seca persistente;
• Dor de cabeça pela manhã;
• Infecção de vias aéreas superiores recorrentes;
• Mau hálito;
• Sonolência / irritabilidade;
• Dificuldade para se alimentar
• Mau aproveitamento escolar;
• Face alongada;
• Aumento de cáries dentárias;
• Deformidades dento-faciais;
• Olheiras
• Palato ogival ou atrésico (fundo)

É importante ficar claro que a respiração bucal não é uma condição natural. Ela é consequência de alguma alteração que impede a respiração nasal e precisa ser tratada.
Mas você pode estar perguntando: e por que a odontopediatra está falando disso tudo?
O odontopediatra é um dos profissionais capazes de auxiliar no correto diagnóstico e tratamento desses pacientes, assim como o médico otorrinolaringologista e a fonoaudióloga.
Porque o tratamento para o paciente que tem a Síndrome do Respirador Bucal deve ser feito por uma equipe interdisciplinar e o odontopediatra pode (e deve!) fazer parte dessa equipe. Muitas vezes, mesmo eliminando o que causa a obstrução nasal, o paciente pode continuar com o hábito de respirar pela boca, porque foi o padrão que se instalou. Ele precisa mudar esse hábito. O odontopediatra atua não só nas correções da dentição e arcada dentária, mas também na instalação de aparelhos que auxiliam em um adequado posicionamento dos órgãos durante a respiração e favorecem a mudança de padrão respiratório da criança.
Se você identificou um ou mais daqueles sintomas citados lá em cima no seu filho, procure um profissional qualificado para direcionar o tratamento.
Seu pequeno agradece o ganho que vai ter de qualidade de vida!

Autor Ana Andréa Noveli

Mãe do André, odontopediatra e pacientes especiais na Rizzi Saúde Oral, com ênfase em odontologia para bebês e odontologia intrauterina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *