Desfralde requer paciência e colaboração dos pais

A partir dos 2 anos de vida as crianças começam o amadurecimento neurológico e passam a compreender e ter maior controle para iniciar um desfralde.  De acordo com a pediatra do Hospital Universitário, Dra. Rosa Estela Gazeta, se este processo começar muito antes desta fase e a criança não está preparada, pode gerar problemas como constipação intestinal. Após essa fase, a criança já tem controle maior.

Os pais devem observar para saber a hora certa de começar o desfralde. “Algumas crianças podem se sentir incomodadas com a fralda, neste caso pode começar a tentar o desfralde mesmo antes da fase dos 2 anos, mas lembrando que não deve ser uma obrigação”, afirma a médica, que reforça que o ideal é fazer primeiro o desfralde diurno. “Depois, quando a criança já tiver um certo controle, começar a pensar no desfralde noturno”.

Este momento requer muita calma e paciência dos pais. A pediatra afirma que o desfralde é mais complicado para eles do que para as crianças. “Neste processo, a criança primeiro vai falar de xixi e quando a mãe olhar, ela já fez na calça. Depois a criança vai falar do xixi e acabar fazendo na calça no caminho para o banheiro. Só depois é que ela compreenderá que para fazer xixi é igual a ir ao banheiro. Os pais precisam ter muita paciência neste desenvolvimento de aprendizagem e nunca repreender se a criança fizer na calça. É uma fase de adaptação”.

Se as crianças já frequentarem a escola, a participação dos profissionais é fundamental. “Em geral os profissionais da escolinha já estão treinados para este processo. Se os pais começaram o desfralde em casa, a escola dá continuidade sem problemas. Em algumas escolas, quando a criança chega nesta fase, já começam com o desfralde”, ressalta Rosa.

A dica da pediatra é que em primeiro lugar os pais precisam ter a consciência de que o desfralde irá acontecer em algum momento e que não é preciso se estressar demais com isso. “Também é importante que ao iniciar o desfralde, a família vá até o final, para não confundir a criança. Segundo, o noturno pode demorar um tempo maior, pois tem crianças que têm uma maturação tardia e podem ficar de fraldas até os 5 ou 6 anos sem que isso signifique um problema de saúde. Em vias de regra, é importante que a criança seja acompanhada por um pediatra”.

 

Nota da editora:

Eu fiz o desfralde diurno da Bia quando ela tinha 2 anos e 3 meses. Quem me orientou na época que minha filha estava preparada foi a escola. O processo começou num fim de semana, em casa, e realmente requer muita paciência (coisa que nem sempre temos). No meu caso, o sábado foi enlouquecedor, meus pais vieram me ajudar no fim do dia porque estávamos exaustos e achando que não daria certo. No domingo cedo ainda tivemos escapes e com o passar do dia ela foi compreendendo e ficando mais fácil.

O cocô demorou um pouco mais, ela ficou alguns dias ainda fazendo na calça, mas soubemos entender que o processo era esse e logo o desfralde foi finalizado.

Autor Livia Haddad

Editora do Portal Mães de Jundiaí, mãe da Beatriz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *